Eletroterapia - Podóloga Márcia Nogueira -

Eletroterapia

Chamamos de eletroterapia os tratamentos aplicados com aparelhos elétricos.

A Alta frequência, por exemplo, é um equipamento elétrico que através dos eletrodos, dá origem ao ozônio. O LED é também um equipamento elétrico, que emite luz e essa promove benefícios na região a ser tratada.

ALTA FREQUÊNCIA

Equipamento elétrico que gera ozônio através da descarga elétrica em um eletrodo de vidro contendo alguns desses gases como: chenon, argon e neon. Os efeitos acontecem no local onde a molécula de Ozônio é formada, ficando alguns segundos sobre a epiderme. Quando a frequência das etapas, de intensidade de uma corrente elétrica, ultrapassa alguns centésimos de amperes, provocam reações no organismo humano. Quanto mais rápida a frequência das etapas, chegando à cifra de 1000 por segundo ou mais, atravessa o organismo dando a impressão de calor. É o que acontece com a corrente de alta-frequência, pois pela rapidez de alternâncias, neutraliza qualquer efeito químico e faz com que a percepção sensível, seja impossível.

Somente se percebe o fenômeno que resulta, na elevação da temperatura. A estética começou a utilizar esse equipamento, a eletroterapia em 1938, na França, hoje em dia é um dos auxiliares indispensáveis para o profissional, pela sua gama de utilização.

O aparelho gera corrente elétrica de intensidade controlada e indolor.

Possui uma bobina de alta tensão conectada a um eletrodo de vidro, que contém um gás, produzindo um fluxo de luz fraca e faíscas, que ao entrarem em contato com o ar, liberam átomos de oxigênio, gerando o ozônio (O3).

APLICAÇÃO

Com a aplicação do eletrodo, a circulação periférica é estimulada pela ação elétrica. Nesse momento são facilitadas as trocas de metabolismo, que são fenômenos físicos- químicos que mantêm a vida do organismo, assimilando substâncias essenciais à vida.

O ozônio tem propriedades bactericidas, pois, elimina as bactérias anaeróbicas.
A eletroterapia é usada em tratamentos auxiliares nos fungos. É oxidante, pois, age como renovador celular. Seu efeito hemostático estanca pequenos ferimentos e destrói agentes invasivos pelo efeito esterilizante.

Reflexologia é uma técnica que utilizamos pontos de pressão, que correspondem aos órgãos específicos do nosso corpo e que, estimulados, promovem o equilíbrio físico e energético.

Juntamente com a reflexologia podemos aplicar a cromo e a aroma terapia. São técnicas complementares que enriquecem o procedimento, deixando o cliente com agradável sensação de harmonia e bem-estar.

A cromo e aromaterapia têm como função equilibrar, corpo mente e emoções do cliente que recebe esse tratamento. A reflexologia por si só, já é eficaz, imaginem com o auxílio das cores e aroma!

Na Podologia

Podemos aplicar a eletroterapia na Podologia, com o equipamento de alta- frequência, de maneira consciente e adequada, usufruindo todos os seus benefícios, na intenção de proporcionar ao cliente um tratamento moderno, diferenciado e renovador.

Existem no mercado aparelhos (Alta frequência) adaptados, especificamente, para o tratamento dos pés, com 5 tipos de eletrodos anatômicos, com os quais é aplicamos a eletroterapia em procedimentos podológicos. 

  1. Faiscamento direto
  2. Rabo de baleia
  3. Cachimbo pequeno/Pocinho
  4. Cachimbo grande/Poção
  5. Cebolinha

O eletrodo n°1 (faíscamento direto) é utilizado em locais de difícil acesso, no contorno do eponíquio (cutícula) e sobre pequenos pontos de lesões, fissuras ou verrugas (8 min. semanais).

O eletrodo n°2 (rabo de baleia) é utilizado com a técnica de fluxação, na antissepsia e assepsia profunda e preventiva, diretamente sobre a pele, podendo também ser utilizado no espaço interdigital, tratando e prevenindo assim, a “tínea pedis” e candidíase.

Os eletrodos n°3 e 4 (cachimbo P e G) formam pequenas câmaras de ozônio. São utilizados em onicocriptoses com ou sem granuloma piogênico e lesões ocasionadas durante o procedimento ou já presentes nos pés do cliente, tais como: onicomicose (fungos nas lâminas).

O eletrodo n°5 (cebolinha) é utilizado antes e depois da hidratação e cicatrização de feridas (aplicar a 10 cm de distância das bordas).

Cuidados

Devemos ter o máximo de atenção para NÃO utilizar o equipamento sobre peles úmidas, com produtos que contenham álcool, substâncias inflamáveis ou com manchas / pintas de coloração e espessuras alteradas.

Contraindicações:

-Grávidas.
-Portadores de marca-passo e pinos metálicos.
-Convulsivos.
-Pacientes neoplásicos (com câncer).

Não devemos manter o eletrodo por mais de três segundos no mesmo local, pois a pele queima ou escurece. Em casos de cauterização de verrugas, na região plantar, o eletrodo pode ser mantido no mesmo local por até 8 minutos.

Daí a extrema importância da anamnese, que deve ser preenchida como avaliação inicial, antes de se iniciar qualquer procedimento podológico, inclusive a eletroterapia.

Importante: Saber do passado e presente clínico do nosso cliente nos é de grande valia por ser uma atitude, acima de tudo, profissional. O auxílio da eletroterapia tem caráter preventivo, além de auxiliar no tratamento de várias patologias, pois oxigena, renova e protege as células da pele que recobrem nossos pés.

O que é Onicocriptose?

São muitas as causas dessa patologia, a Onicocriptose, que acomete várias pessoas e que encontram dificuldades em sanar esse problema.

Entre em contato!

Cel. Vivo – (11) 99590-0857